SOBRE A OFICINA

Que tal reaprender o brincar? Nós, que um dia já fomos crianças, já soubemos criar nossas próprias brincadeiras, fazer nossos próprios brinquedos, inventar nossas próprias histórias. Para que possamos utilizar em nossas aulas este poderoso recurso, que é o mundo lúdico das brincadeiras, precisamos resgatar esta criança brincante que ficou perdida dentro de nós! E, além disso, propor uma aula que seja também um espetáculo, recheada de nuances e camadas dignas de uma apresentação artística, porém com toda a fundamentação que você precisa para a sua prática.

Como fazer isso? É o que pesquisamos intensivamente na oficina BRINQUENAUTAS – Vivências Musicais para Sala de Aula. Além de apresentar as brincadeiras, atividades e músicas criadas por Marcelo Serralva e Marissa de Britto, este workshop funciona como um grupo de estudos e discussão, onde os participantes vão pensar novas atividades, reinterpretando brincadeiras existentes, ou criando novas a partir do zero.

A oficina já percorreu cerca de 20 cidades, atendendo a quase 1.500 educadores de diversas partes do país. A cada oficina ao menos uma brincadeira ou música é criada pelo grupo, e este material passa a fazer parte do próprio repertório de atividades da oficina, sendo apresentado depois para os próximos grupos. Assim, cada grupo estuda material produzido por grupos de outras regiões, e depois produz material para ser estudado por outros grupos. A idéia é gerar um material colaborativo, de “código aberto” (ou domínio público) que possa ser usado por educadores de todo o Brasil.

Mas quem participa da oficina também tem acesso a material exclusivo, e a um ambiente EAD que possui material complementar em formato de um curso ONLINE! Com material para download em PDF, mp3, cifras e planejamentos. Além de um grupo de whatsapp exclusivo para cada oficina, com suporte direto com Marcelo Serralva.

MATERIAL UTILIZADO

A proposta da oficina é construtivista, e utilizando materiais de baixo custo e acessíveis a todos. Alguns projetos serão executados durante a própria oficina. Os materiais explorados são:

  • Fitas coloridas de cetim – utilizadas para atividades de movimento, trabalhando pequenas coreografias, movimentos livres, andamento, ritmo e muito mais.
  • Bolas coloridas de plástico com grãos – utilizamos bolas de plástico, daquelas de piscinas de bolas, acrescidas de grãos para que funcionem como pequenos chocalhos.
  • Bambolês – os bambolês vão ser usados de várias formas: como delimitadores de espaço, no chão, para demarcar a atividade em amarelinhas, escalas musicais etc. Também são usados no ar, percutidos no chão e em várias outras formas – construídos, desconstruídos, amarrados… A idéia é explorar o bambolê em todas as suas possibilidades, menos em sua proposta original, que é o bambolear.
  • Panos coloridos – usados para atividades de movimento e para construção de objetos na hora, amarrados entre sim ou amarrados a bambolês.

Comentários do Facebook